Entenda como driblar os desafios e as dificuldades enfrentadas pelos produtores de carne

Entenda como driblar os desafios e as dificuldades enfrentadas pelos produtores de carne

Os desafios e dificuldades estão em evidência, devido ao uso incorreto da tecnologia. As informações estão disponíveis e são de fácil acesso.

Um dos grandes problemas é como essa tecnologia se incorpora, pois existem falhas na informação de como aplicá-la corretamente. Assim, os programas de melhoramento e as centrais são fundamentais, para incentivar e apresentar as respostas que as tecnologias podem proporcionar.

Outra dificuldade é em relação ao mercado. Tendo como referência o fechamento da China no ano passado, muitos criadores que investiram pagaram mais, mas na hora da venda, o preço do produto não correspondia ao investimento. É importante fazer uma análise de mercado antes de investir grandes quantias.

Características importantes na produção de carne

Você sabe quais características podem proporcionar o lucro que você precisa? Para isso, é importante ficar atento à escolha de um determinado reprodutor, definindo as características que vão fazer a diferença no resultado. Lembramos que no sistema de cria, precocidade sexual, reprodução, peso à desmama e habilidade materna são características consideráveis. O sistema de recria e engorda, desempenho e crescimento, também são importantes. 

“O manejo e nutrição adequados fazem com que os animais consigam expressar seu potencial em relação ao acabamento de carcaça e gordura, características que valem a pena considerar na hora da escolha do reprodutor. Assim, a indústria frigorífica proporcionará um pagamento diferenciado”, conta Baldi.

DEP, base genética e acurácia

A DEP é uma ferramenta utilizada para a realização de mudanças de rumo nas características de importância econômica para produção de carne. Com a ferramenta, os produtores podem projetar um rebanho que satisfaça especificamente suas metas e objetivos de produção.

As DEP's são resultados de anos de registros de dados de desempenho obtidos pelos criadores de raças puras, e sua correta utilização resultará em significativas mudanças genéticas dentro de cada raça bovina. 

ANCP

A ANCP possui alguns índices, entre eles estão o MGTe tradicional, que serve para classificar animais para a maioria dos sistemas de produção do Brasil, ou seja, para aqueles que procuram um reprodutor para um sistema tradicional, a pasto, semi-extensivo, que o objetivo é produzir número de animais e arroba de carne. O índice de cria, que oferece uma ponderação maior entre uma característica, relacionada à precocidade sexual, longevidade das matrizes e peso à desmama.

Temos índices para o sistema cria e engorda com diferentes níveis de intensificação, seja pasto, confinamento ou confinamento com bonificação em gordura - esse é o primeiro direcionamento que o produtor consumidor de genética possui.

Avaliação genômica: como ela auxilia o produtor

A análise genômica nos bovinos identifica os marcadores moleculares que são de interesse econômico para os produtores. Nos programas que fazem essa avaliação, eles traduzem esse genoma em uma informação produtiva. A vantagem dessa DEP genômica é que se pode aumentar a acurácia, proporcionando maior assertividade na hora de fazer a seleção dos animais jovens. Quando se diz que um animal tem a DEP superior ao outro, significa que essa diferença é real. A genômica proporciona uma avaliação com maior confiabilidade.

A genômica tem aberto espaço para avaliação de outras características, como a eficiência alimentar, maciez da carne, características reprodutivas e longevidade das matrizes. São características que levam muito tempo para aumentar a acurácia das avaliações, então, com a genômica é possível ganhar confiabilidade das avaliações nos animais jovens.

No rebanho do Rancho Boi Bravo, a idade média das matrizes vem diminuindo. O criador que desafia suas fêmeas, utilizando a genômica, tem maior porcentagem e assertividade na seleção de fêmeas, pensando nas características reprodutivas, e o ciclo começa a andar mais rápido. Podemos observar que, a partir de 2014, a evolução genética aumentou, na mesma época que as avaliações genômicas começaram a ser utilizadas. Antes de 2014 o produtor precisava, em média, de 20 anos para aumentar 10 kg do peso à desmama, mas hoje com 10 anos é possível ter o mesmo resultado.

Clique aqui e acesse gratuitamente nosso e-book. Nele você encontrará mais informações sobre o assunto.


0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Todos os campos com * são obrigatórios