A importância do melhoramento genético e seu cenário

A importância do melhoramento genético e seu cenário

Nos últimos 10 anos, houve uma mudança significativa em relação ao cenário atual de melhoramento genético no Brasil.

Segundo o Prof. Fernando Baldi, se avaliarmos a bateria de touros que estão nas centrais de inseminação, a quantidade de sêmen comercializado no País, e sobretudo de animais geneticamente avaliados, é notável a extrema mudança nos últimos anos.

Hoje, o mercado produtor de genética e o mercado consumidor já estão cientes da importância da avaliação genética como uma ferramenta considerável que pode ser utilizada por todos. “O crescimento do setor é notório, não somente no caso ANCP , mas em outros programas. Essas mudanças são um bom sinal, o mercado consumidor de genética está cada vez mais ciente e, além disso, os produtores e consumidores de genética são um incentivo para outros produtores. O objetivo dessa integração aos programas é de melhorar a produtividade das matrizes”, ressalta Baldi.

O envio de dados dos animais para uma avaliação é muito importante, sendo possível a utilização das informações no gerenciamento da fazenda.

É importante ressaltar que, quando o produtor de gado de corte compra o sêmen, toda tecnologia, conhecimento e informação vêm na dose de sêmen. A maioria dos programas de avaliação tem, em média, 30 a 40 anos de seleção. Essa bagagem proporciona maior segurança, transparência e uma melhor comunicação com o produtor de carne e com o criador comercial, que é o consumidor dessa genética.

Como direcionar o programa

A falta de informação está sendo um dos obstáculos para os produtores, por isso, muitas centrais estão trazendo programas de orientação ao produtor comercial sobre como utilizar as ferramentas adequadamente. “No caso do Nelore, temos vários programas com diferentes características, pois uma pessoa que não conhece o assunto pode se confundir. Então, as centrais estão levando ao produtor essa base adequada, de transmitir a informação para o consumidor de genética”, explica o especialista.

O Rancho Boi Bravo busca alternativas para facilitar essa comunicação. “Mudamos a forma de falar com esse consumidor de genética. Estamos tentando traduzir essa informação de genética para a produção, com números e valores reais sobre o manejo. É um caminho mais fácil para incentivar o uso de touros geneticamente melhorados”.

 Cenário dentro da RBB

Os resultados do Rancho Boi Bravo são impressionantes. A RBB entrou para o programa da ANCP em 2018, e hoje, conforme gráfico abaixo, é visível a evolução.

O melhoramento genético vem evoluindo cada vez mais, de forma consistente. A média do MGTe dos animais que nasceram em 2018 era de 16, e hoje, na safra 2022, já chegou a 23, um aumento mais que significativo”, exalta Baldi.

O impacto econômico é muito grande, quando consideramos essa escala para uma fazenda comercial. Um exemplo é o peso à desmama, que em 4 anos aumentou 40 kg / animal. Se multiplicarmos esse valor por mil bezerros, são 40.000 kg a mais. “Percebemos que o criador de gado de corte é desinformado. Não é a compra de um touro com uma dose de valor elevado que vai atender a demanda que almeja, e sim uma de valor mediano e com um equilíbrio nas características, ou seja, é preciso saber utilizar de forma precisa”, conta Baldi.

A demora dos resultados era um fator que deixava a desejar, mas essas eventualidades estão virando passado. Com as tecnologias disponíveis no mercado, hoje as respostas estão muito mais rápidas, proporcionando maior satisfação.

Clique aqui e baixe gratuitamente o nosso e-book, nele você encontrará mais informações sobre o Melhoramento Genético na Rancho Boi Bravo.


0 Comentários

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Todos os campos com * são obrigatórios